sexta-feira, abril 20, 2007

Gregos vs. Alemães - futebol e filosofia

Na semana em que o grande assunto futebolístico deve ser, com mérito, o golaço do Messi no Getafe, à la Maradona, vou postar aqui outro jogo de futebol um pouco mais divertido. Trata-se de uma filosófica partida entre gregos e alemães, encenada pelo Monty Phyton, no filme "Live at the Hollywood Bowl". Imperdível: Monty Python - International Philosophy (clique no título do vídeo para assistir. Eu disse no título do vídeo, não no título do post).

Vou postar aqui as legendas em Português (de Portugal, foi o que achei na net):

Boa tarde, bem-vindos ao Estádio Olímpico de Munique, completamente lotado para a segunda mão desta excitante final.
E cá temos os alemães, conduzidos pelo seu capitão "Nobby" Hegel.
São os verdadeiros favoritos esta tarde.
Atraíram realmente a maior parte das atenções da imprensa com os problemas da equipe.
E vamos ver o alinhamento:
Os alemães jogam em 4-2-4, Leibniz à baliza, o quatro defensivo formado por Kant, Hegel, Schopenhaeur e Shelling, atacantes: Schlegel, Wittgenstein, Nietzche e Heidegger, e o duo do meio campo com Beckenbauer e Jaspers.
A inclusão de Beckenbauer constitui, obviamente, alguma surpresa.
E aqui temos os gregos, liderados pelo centrocampista veterano, Heraclito.
Vamos ver a sua constituição:
Como esperado, apresentam uma linha mais defensiva.
Platão na baliza, Sócrates no ataque, e Aristóteles como líbero. Aristóteles, o jogador em melhor forma.
Uma surpresa é a inclusão de Arquimedes.
Bem, e aqui vem o árbitro: K'ung fu-tsze (Confúcio) e os dois fiscais de linha, Santo Agostinho e São Tomás de Aquino.
E, enquanto os dois capitães se cumprimentam, estamos prontos para o apito inicial desta excitante final...
O árbitro, Sr. Confúcio, verifica a ampulheta...
...e... começou!
Nietzsche e Hegel aqui,
o velho número sete, Jaspers, em fora de jogo,
o Wittgenstein está com ele,
cá temos Beckenbauer,
ali o Shelling,
Heidegger na cobertura, Schopenhauer,
e agora são os gregos,
Epicuro, Plotino com o nº 6,
Aristóteles, Empédocles de Agrigento
e junto a ele Demócrito. Cá temos Arquimedes, Sócrates,
Aí vai Sócrates,
Sócrates a furar...
Lá está a bola, lá está a bola!
Voltaremos a este excitante desafio assim que algo de interessante aconteça.
(...)
Bem, pode estar zero a zero, mas não falta excitação, como podem ver,
Nietzsche acabou de ver o cartão amarelo por discutir com o árbitro, acusou Confúcio de não ter livre arbítrio
e Confúcio respondeu colocando-lhe o nome no livrinho.
E este é o terceiro amarelo de Niezsche em 4 jogos.
E, oh, este é Karl Marx,
Karl Marx está a aquecer, parece que ele vai entrar na equipa alemã.
Obviamente, o treinador, Martinho Lutero decidiu jogar tudo no ataque
e, de facto, tem de o fazer quando só faltam 2 minutos para o fim do jogo.
Mas a grande questão é: quem vai ser substituído?
Quem vai sair?
Pode ser Jaspers, Hegelou Schopenhaeur.
Mas é o Wittgenstein!
E cá temos Marx! Vamos a verse ele consegue iluminar o ataque alemão.
Parece evidente que não. É uma pena. Bem,agora, faltando apenas um minuto para o fim,
A segunda mão na terça-feiraparece absolutamente vital.
Cá temos Arquimedese parece que ele teve uma ideia!
Eureka!
Arquimedes para Sócrates, Sócrates devolve a Arquimedes,
Arquimedes para Heraclito, que bate Hegel, com um pequeno toque,aparece ao poste mais distante,
Sócrates está lá! Sócrates cabeceia para o golo! E é a loucura entre os gregos!
A loucura entre os gregos,
Sócrates marca, que magnífico cruzamento de Arquimedes! Mas os alemães discutem o lance!
Hegel argumenta que a realidade é apenas um auxiliar apriorístico da ética não naturalista.
Kant, invocando o imperativo categórico, defende que, ontologicamente, apenas existe na imaginação.
E Marx clama que é impedimento!
Mas Confúcio apita para o final, acabou!
A Alemanha, que trucidou o famoso trio de meio campo inglês
composto por Bentham, Locke e Hobbes na semifinal, foi batida por um golo sem resposta!
E vamos ver a repetição!
Cá temos Sócrates,
Sócrates a cabecear para o golo e Leibniz sem hipóteses.
E olhem só o contentamento do gregos!
Cá estão eles, "Chopper" Sófocles, Empédocles de Agrigento,
que jogo magnífico ele fez!
E Epicuro também lá está e Sócrates, o capitão, que marcou talvez o mais importante golo da sua carreira!

Nenhum comentário: