terça-feira, abril 24, 2007

Peleia de Ministros do TSE: mais um caso para o Melômetro?

Briga de Cachorro Grande: Ministros Marco Aurélio de Mello e Caputo Bastos trocam farpas na imprensa

O Ministro Caputo Bastos achou por bem alguém dizer a verdade de vez em quando, e proclamou (em sede de entrevista liminar, como diria o Ladeira), que, nas campanhas eleitorais, os políticos fingem que prestam contas, e o TSE finge que as aprova.

Desagradou o Presidente do Tribunal, Ministro Marco Aurélio, o qual, entre outras coisas, afirmou que "quem fala pelo TSE é o presidente do TSE", reivindicando para si o direito exclusivo de antecipar decisões judiciais nos meios de comunicação. Também afirmou: "Só posso imaginar que o Rio de Janeiro leva ao delírio, tendo em conta o que ele veiculou. Não estou no tribunal para fingir coisa alguma. Se ele finge, está no local errado. Se ele finge, está claudicando na arte de proceder e esta não é a postura dos demais integrantes do tribunal."

Fico preocupado por uma série de razões. Primeiro, ocorreu-me que Brasília poderia levar as pessoas ao delírio (vide decisões recentes do TSE, por exemplo, tomadas aqui em BSB mesmo), e como cá estou habitando há pouco, então ainda não estaria sendo afetado - mas seria, talvez, uma questão de tempo.

Ocorre que estou a caminho do Rio de Janeiro (que leva ao delírio, segundo o Ministro), onde vou passar o "feriadão" (isso está sendo descontado das minhas férias, saibam disso), e começo a temer pela minha saúde mental, que nunca foi lá essas coisas.

Mas, enfim, o que causa espessa estranheza é que o Ministro Marco Aurélio aproveitou o ensejo (e nunca faltam ensejos!!!) para lembrar que, por ele, as contas de Lula teriam sido rejeitadas, e, claro, claro, claro que o comentário não se limitou a citar julgamentos pretéritos do TSE (o Ministro já votou contra a aprovação, mas foi voto vencido). É evidente que o ensejo (ah, os ensejos, o que seria da vida e deste blog, e do melômetro, e de todos nós, sem os ensejos!!! Eu diria até que a vida é feita de acasos e de ensejos...) levou o Ministro a comentar que também as contas de Alckmin continham erros e tiveram de ser enviadas para retificação. E sabe-se lá, então, o que vem por aí. De resto, o Ministro lembrou, com razão, que o TSE já reprovou as contas de diversos partidos políticos. Mas, enfim, como de praxe, o Ministro falou, falou, falou, falou, falou... E, claro, fica a pergunta: por que, para corrigir e repreender publicamente o Ministro Caputo Bastos, e defender o TSE, o Ministro precisava lembrar das contas de Lula - que, segundo ele, deveriam ter sido rejeitadas? O que tem uma coisa a ver com a outra?

As fontes dessa notícia são o Blog do Mauro Noleto, primeiramente, e o blog do Josias de Souza, de onde ele buscou as fontes.

4 comentários:

Adriano De Bortoli disse...

Gustavo,
aproveitando o "ensejo" da tua viagem recomendo a leitura de Memórias do Delírio - Confissões de um esquizofrênico, livro no qual L.F. Barros narra suas aventuras e desventuras em busca de um diagnóstico médico capaz de explicar sua anormalidade.
abç

Cláudio Ladeira disse...

Gustavo,
Convenhamos, esse quiprocó todo é culpa do Adriano, nosso sócio fundador do Civitates, que inventou a série "Civitates Entrevista" (muito bem inaugurada com o Felipe no post anterior). Só não vê quem não quer: o min. Caputo de Bastos e o min. Marco Aurélio (que fiCA PUTO quando passa uma semana sem aparecer no Jornal Nacional) estão brigando para ver quem será o próximo entrevistado pelo Civitates! Certamente o M.A.M achava que a parada estava ganha, o que levou seu concorrente adotar um posicionamento "mais agressivo", como diriam os analistas do mercado financeiro. Pô, Adriano, quero ver você resolver o problema agora!

Adriano De Bortoli disse...

Caro Cláudio,
tendo em vista o "ensejo" contatei a assessoria de imprensa do Min. Marco Aurélio Mello e do Min. Caputo de Bastos para entrevistá-los também.
Aguardo sugestões para a pauta das entrevistas.
abç

Geyson Gonçalves disse...

Moçada,
Vale a pena registrar a última notícia sobre a decisão do TSE no caso do Dossiê (???) da última campanha:

"Por unanimidade - 6 votos a zero - os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgaram improcedente a Representação (RP) 1176, que investigava a suposta compra de dossiê contra políticos do PSDB durante a campanha eleitoral de 2006.

Todos os ministros acompanharam o voto do relator, ministro Cesar Asfor Rocha, que considerou não haver prova de que o episódio da tentativa de compra do dossiê configuraria caixa dois da campanha pela reeleição do presidente Lula, tampouco de que esse fato teria prejudicado a campanha do candidato da coligação autora da ação, que representava o candidato Geraldo Alckmin."
Fonte: http://agencia.tse.gov.br/index.jsp?pageDown=noticiaSearch.do%3Facao%3Dget%26id%3D17530
E agora, o que vai ser???
Com a palavra os nossos analistas de plantão.