segunda-feira, março 31, 2008

do MELLÔMETRO ao MENDÔMETRO?


Leio hoje no "blog" da Veja (o semanário mais vendido do Brasil, em ambos os sentidos) a seguinte entrevista (copiada da Folha de São Paulo) do Min. Gilmar Ferreira Mendes, futuro presidente do STF:
"PERGUNTA - Como o sr. analisa o caso do dossiê, o que o governo sustenta ser um banco de dados?
GILMAR MENDES -
Até agora, não tenho dados específicos que permitam um juízo seguro. Agora, posso dizer que, se de fato se pratica essa política de levantamentos indevidos de dados ou se pratica o levantamento devido, mas para vazar com esse intuito de dossiê, acho lamentável. Acho que até não é uma prática hoje condizente com os ditames do Estado democrático de Direito. Se há informações relevantes que devem ser reveladas, elas devem ser feitas pelos canais competentes. Agora, fazer vazamentos aproveitando-se de uma posição funcional, ocasional, parece realmente de uma covardia institucional lamentável. Mas estou falando em hipótese."

Ora, ora, Min. Gilmar. Nem bem se sentou na cadeira presidencial e já dá sinais do que será a sua gestão. Será que o Sr. também é desconhecedor, assim como o Min. Marco Aurélio Mello, da Lei Orgânica da Magistratura? Será que, depois de quase uma década no STF, não se acostumou à idéia de não antecipar suas decisões?
Como será a postura do Min. Gilmar na presidência do CNJ quando entrar na pauta (se é que chegará lá) a representação feita pelo Partido dos Trabalhadores contra o Min. Marco Aurélio Mello que antecipou seu julgamento sobre a constitucionalidade do Programa Territórios da Cidadania?
Será que o Min. Gilmar também se pronunciaria, somente em hipótese, a respeito da representação?
Será que devemos criar um MENDÔMETRO???

Nenhum comentário: