domingo, agosto 05, 2007

"a baba elástica e bovina dos possessos"

Estou realmente assustado com o ódio experimentado e demonstrado por alguns internautas em relação ao presidente Lula (de acordo com as pesquisas de opinião publicadas e com o meio utilizado para estas manfestações - internet - arriscaria dizer que podem ser considerados parte da classe média e alta).
Tenho verificado não apenas as publicações da chamada "grande imprensa" (aquela que ainda não engoliu o fato de que o Lula venceu, apesar da Globo, Veja, Folha, Estadão etc.), como também os comentários postados pelos internautas nos mais diversos sites e blogs. Os comentários, devo admitir, com freqüência me assustam mais do que as "reportagens".
As "reportagens" fazem parte de uma prática corriqueira em nosso país e já não são novidade (quem não lembra de 1989 e 1994?) e embora as matérias ditas jornalísticas possam influenciar os comentários produzidos, nestes últimos, o rancor e a ignorância produzem linhas aterrorizantes. Não são apenas críticas (há muito já não cabem neste conceito), são expressões de puro ódio. Um ódio visceral e, como todo ódio, difícil de explicar. Quando leio algumas postagens não consigo deixar de lembrar de uma expressão de Nelson Rodrigues, porque apesar da distância física, posso ver o internauta digitando e de seus lábios pendendo "a baba elástica e bovina dos possessos", gosma tão comum nos contos do Autor pernambucano.
Não pretendo teorizar sobre os motivos de tudo isso, mas não consigo deixar de elencar pelo menos dois deles: preconceito e preconceito. Admito que não são os únicos, mas têm um peso importagem na contagem final.
A ironia feita na última postagem deste blog (sobre tudo ser culpa do Lula) é representativa do momento que passamos. Agora é esperar por um período sem catástrofes (mesmo as naturais) para que as frustações não aumentem e o culpado da vez não seja mais uma vez condenado.
OBS. Não estou fazendo qualquer referência aos comentários deste blog. Escrevo sobre alguns comentários postados em outros sítios.

Um comentário:

Cláudio Ladeira disse...

Mandou bem, Geyson. Aliás, é uma infeliz ironia que o divertido - e politicamente conservador - Nelson Rodrigues, exatamente ele, seja o modelo que um réptil como Arnaldo Jabor (supremo babão-bovino) pretenda imitar. Ou plagiar. Só acho que os hurros grosseiros, as baixarias preconceituosas despolitizadas, as truculências digitadas, talvez hoje só sejam mais visíveis do que poderiam ser antes. Acho que a maior parte desse sentimento, hoje podendo ser expresso na internet com facilidade, já existia há 10 ou 20 anos (ou quem sabe era até maior). É que, agora, com a "universalização" da internet entre a classe mé(r)dia qualquer estrupício pode vomitar sua palavra de ordem neo-fascista, que será lida por outro estrupício - que com isso vai ganhar fôlego e mandar ver sua própria baba bovina. Acrescente-se a deterioração da imprensa nos últimos anos (simbolizada por nematelmintos como Diogo Mainardi e Reinaldo Azevedo), que alimenta e é alimentada pelo ódio disseminado na camada social onde circulam sues leitores. Isso sim é "efeito de manada".