sábado, abril 12, 2008

Sábado Piriguete



Nada como um bom sábado.
Dia em que sigo rigorosamente os preceitos judaicos, mesmo não sendo judeu, e não faço absolutamente nada. Nada a trabalho, deixemos claro.
Não há horários, nem rotina.
Todos os esquecimentos são permitidos e incentivados.
Música só do programa "The swingin years" na KKJazz.
Um dia perfeito...
... quase perfeito...
Há sempre uma festa infantil no condomínio que pode estragar tudo.
O temor pelas festas infantis começa na sexta à tarde quando vejo o furgão do "Mundo da Criança" estacionando no pátio da área de lazer. O armamento é pesado: cama de mola, balões, línguas-de-sogra, e outros artefatos militares.
Se não vejo as manobras do inimigo, é no sábado às 8h que descubro que estou sendo atacado.
A maldita cama-de-mola!!! É impossível não torcer para que ela estrague, que aquilo se estire e todos percam o interesse em ficar pulando horas a fio.
Mas quando penso que vai ser sempre do mesmo com gritarias, brigas, choros, o inimigo me surpreende e usa armamentos com alto potencial destrutivo e de efeitos psicológicos incalculáveis.
Foi o que aconteceu nesta manhã.
A tortura psicológica tem letra e música (?): Piriguete. E permite reavivar a discussão do perfil sócio-econômico da prostituta brasileira.
Os pais de uma garotinha de cinco anos devem ficar profundamente orgulhosos de ver sua filha rebolando o funk (?) da Piriguete. É uma imagem que nunca mais vai sair de suas cabeças, com certeza!
Vejam que riqueza poética nos oferece o DJ (?) Thiago nos seus versos com composição (?) de Mc Papo:

Piriguete

DJ Thiago

Composição: Mc Papo

Piriguete – Nópa flagra aquela mina! Mó Pirigute velho. – É Speedy se liga nessa idéia aqui então. (Refrão)

Quando ela me vê ela mexe piri pipiri pipiri piri piriguete rebola devagar depois desce piri pipiri pipiri piri piriguete

Quando ela me vê ela mexe piri pipiri pipiri piri piriguete rebola devagar depois desce piri pipiri pipiri piri piriguete Mini-saia rodada, blusa rosinha decote enfeitado com monte de purpurina

Ela não paga, ganha cortesia

Foge se a sua carteira tiver vazia

Vai na Micareta vai no Pop Rock

Festa de axé ela só anda de top

Ela usa brilho, piercing no umbigo

Quando toca reggaeton quer ficar comigo?

Quando ela me vê ela mexe piri pipiri pipiri piri piriguete rebola devagar depois desce piri pipiri pipiri piri piriguete

Foto de espelho na exibição

Ela curte funk quando chega o verão

No inverno essa mina nunca sente frio desfila pela night com short curtinho

157 de marido

ela gosta é de cara comprometido

Não tem carro, anda de carona

Ela anda sexy, toda guapetona

Ela não é amante, não é prostituta, Ela é fiel, ela é substituta


Ei governador, lá em Salvador, Rio de Janeiro, Santos e BELÔ todo mundo já conhece, sabe o que acontece quando vê a gente ela se oferece. Mexe o seu corpo como se fosse uma mola Dedinho na boquinha, ela olha e rebola. chama atenção, vem na sedução, essa noite vai ser quente eu vou dar pressão.


Só não vou linkar o endereço da música. Aí seria demais pro meu sábado...


Adendo às 18h25:

Para completar o sabadão nada como o torneio no campinho do Corintians e a balada/rave funk/hip hop/eletrônica do vizinho.

Será que isso pode piorar???

7 comentários:

Sandro Sell disse...

Só tenho uma conclusão, filho: tu tá morando no lugar errado... Nunca você vai acordar com o barulho do Tom Jobim empurrando o Toquinho no playground. As piriguete são a realidade, mano.
Podia ser Calypso. Podia ser o Amado; podia ser Babado Novo...
Ainda vamos sentir saudade do Almir Rogério e seu fuscão preto.

Anônimo disse...

Concordo com Sandro, acho que, melhor seria, mudar de endereço, ou sair do Brasil. Deixar o não fazer nada de sabado e fazer algo em prol da vizinhança, da música, da educação.

Adriano De Bortoli disse...

Pois é, as piriguetes são a realidade. Isso não quer dizer que eu deva deixar de gostar de Tom Jobim ou Toquinho, certo?
Até em festas de criança. Mesmo pq há várias composições desses e de outros músicos (de verdade, pois DJ não é músico) que foram feitas pra crianças.
Não querendo ser saudosista, mas na década de 80 tivemos um musical infantil "A arca de Noé" que fez enorme sucesso. O Sandro deve ter feito muita festa com essas músicas.
Na década de 70 se ouvia Chico Buarque, Caetano, Tom Jobim, Vinícius e outros nas rádios AM e FM.
Agora, dos anos 90 pra cá isso mudou bastante. Não tenho a pretensão de avaliar essas mudanças e sei que são bastante complexas para uma postagem. Mas me permito dizer aquilo que gosto ou não gosto.
Se eu fosse a um aniversário infantil em que tocasse piriguete, no mínimo pediria para o dono do som mudar de música. Ou vamos admitir que uma criança de 5 ano já tem autonomia suficiente para fazer suas escolhas sozinha?
Ah, dirão alguns, elas ouvem isso em todos os lugares, etc, etc, etc. Então só posso concluir que nós adultos somos um bando de imbecis que sequer conseguimos estipular padrões morais mínimos paras as crianças.
Porque devo eu me mudar? Isso parece propaganda dos militares: Brasil: ame-o ou deixe-o. Ora, ora...
Fazer alguma coisa pela vizinhança, meu caro anônimo. Porque te escondes, então, já que és portador de uma verdade universal?
Convenhamos, pra travar um debate democrático deve-se assumir posições e expor o que se pensa. Tem que mostrar a cara.
Não gosto de funk, de hip hop, de sertanejo, de pagodinho. Acho que existem estilos musicais muito melhores do que esses. Mas em nenhum momento vou defender censura para eles. Em nenhum momento vou pedir para que meus vizinhos se mudem pq não gosto da música deles. Só penso que não devo omitir minha opinião e torcer para que um dia toquem Toquinho numa festa de criança, sem camas-elásticas, de preferência.

Paulo Barcella disse...

Caro Adriano,
Sábado é um belo dia para tomar um chopp no mercado e abstrair da correria do dia a dia. Sai de casa meu caro amigo.
Tenhas a certeza que poderia ser pior para ti. sente só!!!
http://br.youtube.com/watch?v=bnFmkv6oDFA
Acho que o Sandro concordaria comigo.

Abraço Paulo Henrique Barcella

Geyson Gonçalves disse...

Tá, e não rolou a dança do CREU???

Anônimo disse...

Concordo plenamente, é por isso que alguma coisa deve ser feita, neste sentido.
Que tal gravar uns CDs e doar para o salão de festas. Não esqueça de gravar alguns para os pais, que tem a maior parcela de culpa.
Quanto ao meu nome? Não importa, tive o direito de fazer a opção de anonimo, e a fiz, justamente para não me incomodar.Já que me consideras dono da verdade universal.Não estou discutindo nada, apenas dei minha opinião, se é que é permitido.
Este condominío realmente te deixa estressado.

Adriano De Bortoli disse...

Esse blog está engraçado. Basta postar alguma coisa sobre prostituta, piriguete ou algo que o valha que chovem comentários.
Pra mim um sábado perfeito pode ser no apê, numa boa. Ou em qualquer lugar da cidade e de outras cidades.
Por essas e outras que me permiti fazer uma crônica, ou pelo menos tentei.
A letra da música (?) seria muito mais interessante de discutir do que minha rotina sabática.
Inclusive, na postagem anterior (http://civitates.blogspot.com/2008/04/profissionais-do-sexo.html#links)
se levantou essa questão.
Até tentei sinalizar um aspecto com a foto da Barbie, que me parece muito presente, que é a forma como crianças são induzidas ao consumo de produtos adultos. Isso me parece um assunto interessante. E sobre ele vale a pena assistir ao Pequena Miss Sunshine. Lá, sim, tem uma dança do CREU!!! rs